Pular para o conteúdo

LGPD 2021: tudo o que você precisa saber

Atualmente, na era digital é muito comum os clientes se preocuparem com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Afinal, eles estão fornecendo informações importantes através de um sistema que pode ou não garantir a eles segurança sob o mesmo. O assunto sobre a proteção de dados tornou- se tão importante que criou-se até um “dia internacional da lei de proteção de dados”. Foi criada com o objetivo de conscientizar empresas e usuários em relação à importância da proteção de dados transmitidos em ambiente online. Agora, vamos conhecer um pouco mais sobre a regulamentação de dados a seguir.

O que é a LGPD?

Para que uma sociedade se mantenha em ordem, é essencial que os seus indivíduos e as instituições criadas por eles tenham acesso a direitos e cumpram deveres previamente estabelecidos. Assim, a implementação e o consequente cumprimento de normas de caráter legal funcionam como meios socialmente legitimados de garantir que cidadãos e órgãos institucionais permaneçam em equilíbrio.

É nesse contexto que se enquadra a LGPD, sigla de General Data Protection Regulation, traduzida em português como Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Ou seja, em termos gerais, trata-se de um conjunto de regras que têm força de lei e servem para normatizar as práticas de uso de informações consideradas adequadas no ambiente eletrônico.

A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) entrou em vigor em setembro de 2020. Desde então, o Brasil entrou para o rol dos 120 países que contam com uma lei específica para a proteção de dados pessoais.

A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais veio para estabelecer regras sobre a coleta de dados pessoais e o seu tratamento. Segundo a lei, “dados pessoais” são informações relacionadas à pessoa natural identificada ou identificável e “tratamento de dados” são as operações realizadas com esses dados, como coleta, acesso, processamento, utilização, armazenamento, reprodução, controle da informação, classificação, entre outros. E o não cumprimento dessas regras pode resultar em penalidades significativas.

 

O que acontece com a empresa que descumprir a LGPD?

É natural que toda lei seja acompanhada de sanções legais no caso de eventuais descumprimentos de suas normas em vigência. E isso não é diferente com a LGPD, que estabelece a emissão de notificações e multas para as empresas que não operarem em conformidade com as diretrizes constantes da lei.

As empresas podem receber multas que incidem em até 4% sobre o valor do seu volume de faturamento anual. As organizações que violarem os pilares fundamentais do LGPD ou não possuírem o consentimento necessário dos seus consumidores quanto às operações com os dados virtuais, serão cobradas como penalização o montante de até 50 milhões de reais. 

Sanções financeiras de outros tipos foram fixadas em 2% sobre o faturamento anual. Entre elas, estão as que devem ser aplicadas quando as empresas estiverem com os registros de dados em desacordo com os itens previstos na LGPD ou não emitirem a notificação relativa ao vazamento de informações.

Portanto, quanto maior a infração referente à utilização dos dados dos seus clientes, que uma empresa comete, mais elevados podem ser os valores da penalização no caso de haver a emissão de multas graves, de acordo com a LGPD. E, no caso de empresas com maior lucratividade, pode-se ter repercussões negativas na mídia, tendo em vista o prejuízo financeiro que pode ser gerado por diversas frentes e não só devido às multas.

Como mostraremos ao longo desse post, a implementação da LGPD traz mudanças importantes tanto para as empresas quanto para os consumidores que lidam com dados em seu cotidiano sob o formato digital. Ao proteger as informações virtuais dos consumidores, essa regulamentação propicia maior segurança e contribui de forma considerável para evitar fraudes.

A implantação da LGPD, também, tem grande relevância para o universo corporativo, não podendo ser ignorada, nem mesmo em endereços eletrônicos fora do Brasil. Por impor as diretrizes de utilização de dados virtuais dos usuários, pois a LGPD teve como principal influência o GDPR (General Data Protection Regulation), uma regulamentação que rege essa questão nos países europeus e a mais significante legislação sobre privacidade de dados dos últimos tempos, pois tem servido de exemplo para muitos outros países.

 

LGPD 2021: Tudo o que você precisa saber
LGPD 2021: Tudo o que você precisa saber

Agora você já sabe sobre o que se trata a LGPD e suas penalidades, vamos ver critérios de usos indicados por essa lei e alguns princípios a se basear:

Finalidade e Adequação

As empresas devem ter uma justificativa clara e razoável para utilizar os dados do usuário, que deve ser notificado e que deve autorizar o uso previamente uso desses dados. Além disso, é preciso notificar o objetivo do uso desses dados aos usuários quando for solicitar a permissão.

 

Necessidade

A coleta e utilização de dados pessoais deve ser feita apenas se for necessária para as finalidades que a empresa pretende atingir e que necessitam estar de acordo com a lei.

 

Transparência

A empresa deve garantir ao usuário informações claras, precisas e de fácil acesso sobre a coleta e o tratamento dos dados, para que este possa consentir o uso de seus dados de forma consciente.

 

Não-Discriminação

Não é permitido coletar ou tratar dados para abusivos ou ilícitos. fins discriminatórios.

Quais as mudanças no marketing das empresas?

As empresas irão precisar se reinventar com relação ao seu tratamento de dados, fazendo com que a sua audiência queira passar os seus dados de forma mais natural e transparente por isso. A geração de leads e o uso de dados para fins estratégicos continua, porém de forma mais cautelosa. É uma oportunidade das equipes de marketing repensarem suas estratégias e como passar o valor percebido ao cliente, ao ponto da sua equipe identificar as preferências, sua personalidade e interesses dos seus clientes e prospects de forma mais significativa.

Será preciso criar funis de venda, de conteúdo, ter mais contato com o seu cliente. Construir uma relação realmente sólida e de confiança para que o cliente confie a sua empresa, a entrega de informações dele valiosas de forma espontânea. Portanto, será preciso pensar muito na experiência do cliente e do usuário em todo processo para que cada vez mais sua empresa venha surpreendê-lo. E ter um atendimento e suporte ao cliente excelente para estar sempre em contato com esse cliente e, descobrir de forma orgânica, tudo que precisa para executar boas ações e criar bons produtos.

A Chat2Desk como uma empresa que se importa com a regulamentação de dados, segue a LGPD, seja em nosso servidor ou nos servidores que ficam os dados dos clientes dos nossos clientes. Sendo tudo solicitado e com pedido de permissão para oferecer segurança de conexão. Além disso, para entrar na plataforma é necessário que o funcionário possua uma credencial.

A empresa, também, possui o Whatsapp Business, que possui um sistema de criptografia e garante a segurança do usuário e das mensagens, e, ainda, oferecemos aos nossos clientes  o serviço do sistema de Whatsapp API Oficial que permite que os servidores fiquem na rede Oficial do WhatsApp, sendo homologado pelo próprio Facebook.

LGPD 2021: tudo o que você precisa saber 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *