Buzz Marketing: a estratégia de deixar sua marca na mente das pessoas

O objetivo de todas as empresas é estar na bocas do povo e estar na mente dos consumidores o tempo todo. Uma estratégia que ajuda muito nisso é o buzz marketing, em que consiste causar aqueles burburinhos, em que todo mundo fala sobre e alavanca as vendas e as ações das empresas. Ou seja, coloca a sua empresa nos temas mais falados na mídia ou nas redes sociais. 

 

O que é e de onde surgiu o Buzz Marketing?

A história do buzz marketing é bem diferente, tudo começou em uma época em que não havia televisão nem internet, e os circenses tinham que inovar para que as cidades soubessem que o circo estaria chegando para se apresentar. A estratégia era fazer um stunt publicitário nas ruas gratuito, como um anúncio da chegada do circo na cidade. Após as apresentações, os ingressos para os espetáculos esgotavam rapidamente. Ou seja, há sempre técnicas por trás do buzz marketing que levam as pessoas a conversar sobre sua empresa, gera engajamento.

O buzz marketing foca em dois tipos de personas: os pioneiros e os early adopters. Pois são essas personas que mais consomem novidades, inovação ou são mais propensos a correrem o risco de comprarem algo de uma empresa que eles não conhecem. E são essas personas mais propensas, também, a serem clientes da sua marca. Ao conquistar esse público, eles serão influenciadores da sua marca ao falar dela para outras pessoas. E a fazendo ganhar mais fãs e clientes. 

 

Qual a diferença entre Buzz Marketing e Marketing Viral?

Você pode estar pensando, então, que já conhece essa técnica e que ela se chama viral. Apesar de parecer com a técnica de buzz marketing, são conceitos diferentes. Pois o principal fator do marketing viral é uma mensagem que seja muito compartilhável ao ponto de passar de uma pessoa para outra, como um vírus. O marketing viral é feito para se espalhar em massa, chegando ao maior número de pessoas. 

Já o buzz marketing, ele não só quer atingir muitas pessoas, mas quer fazer isso de forma mais estratégica e assertiva, o objetivo é gerar uma conversa ou um debate sobre sua marca. E, por conta disso, sua construção é diferente de uma marketing viral, pois, com o buzz marketing, o foco é em fazer com que sua marca fica na mente do consumidor. 

 

Quais as principais estratégias de Buzz Marketing?

Apesar da maioria das pessoas crerem que o que vira assunto nas redes sociais ou nas mesas de amigos são aleatoriedades. Existe um estudo que comprova o oposto, Mark Hughes, é autor do livro buzz marketing, onde tem um dos maiores conteúdo sobre o tema. E nele, Hughes descreve seis tipos de assuntos, que ele denomina como os “seis botões do marketing” que provocam “buzz marketing”. E quando uma marca utiliza um deles para passar sua mensagem, as pessoas vão comentar e debater o assunto. 

Os seis botões do Buzz

  • o tabu;
  • o incomum;
  • o extraordinário;
  • o chocante;
  • o hilário;
  • o segredo.

Cada um desses botões, ativa uma parte do nosso cérebro que faz com que falamos sobre isso de qualquer forma.

  • O tabu se torna buzz marketing por ser assunto considerado proibido pela sociedade, gera controvérsia e a defesa de um dos dois lados. Por isso haverá sempre debate, pois cada um irá querer apresentar o seu ponto de vista.
  • Já incomum chama atenção, justamente, por ser diferente, por fugir dos padrões que convivemos. Pode ser tanto um produto novo quanto uma inovação
  • O extraordinário ativa o botão do buzz marketing porque é algo muito bom e positivo, que nos motiva. 
  • Tudo o que é chocante gera opiniões e argumentos, é um dos botões do buzz marketing mais utilizados, apesar de quase sempre não serem coisas boas.
  • Ao contrário do hilário que nos atrai, porque adoramos coisas divertidas e isso gera reação.
  • Por fim, o segredo porque gera curiosidade e adoramos tentar desvendar algo que não pode ser revelado. Aliás, isso é a razão de todos os suspenses que causam antes dos lançamentos. Porque todo mundo quer saber como será e o que será, então, ficam conversando sobre e criando hipóteses. 

Se você ficou ainda um pouco confuso de como pode aplicar buzz marketing na sua marca, vamos te ajudar com alguns exemplos. 

Colaborador fazendo análise do resultados do Buzz Marketing
Colaborador fazendo análise do resultados do Buzz Marketing

Steve Jobs: como o buzz marketing eleva uma marca

Steve Jobs foi um dos empresários que dominava muito bem essa estratégia, fundador e CEO da atual empresa mais valiosa do mundo, Apple. Fez do Buzz Marketing, um elemento chave para criar uma marca inovadora. Steve Jobs, ao final de todas as suas apresentações, sempre dizia a famosa frase “One more Thing”, que virou um marco. Todos sabiam que ao final de cada apresentação, Jobs falaria isso e anunciaria algo surpreendente. Steve Jobs conseguiu com uma única frase ativar dois botões do buzz Marketing.

O primeiro botão é o do choque quando anunciava algo que ninguém esperava. Ao repetir a fala em cada apresentação, o bordão virou um padrão, ativou o botão de segredo e com antecedência. Pois cada período de pré apresentação de Jobs, tinha sempre um burburinho na rede, comentários em sites e blogs. Dessa forma, a Apple sempre esteve na mente e na roda de conversa dos consumidores de tecnologia. Steve Jobs era um grande comunicador.

 

Magazine Luíza e o programa de trainee para negros

Essa semana, a Magazine Luíza anunciou um programa de trainee só para negros, o que gerou muitas discussões. Uma parcela da população elogiou o incentivo por buscar ter mais igualdade no mercado de trabalho, já outros não só foram contra como denunciaram, falando, inclusive, que a ação era um racismo reverso. 

Judicialmente, o programa é válido e considerado uma ação afirmativa, assim como as cotas. Logo, não prejudicou a marca, muito pelo contrário. A Magalu ficou entre os trendings do Twitter, virou assunto da mídia de esquerda, de direita, perfis ativistas e influenciadores sem pagar qualquer espaço publicitário para isso. Resultado? Ações da Magazine Luíza subiram 2,6%! Isso é buzz marketing, trabalharam com tabu – porque, infelizmente, ainda é -, o incomum e o extraordinário, tudo de uma vez só.

Suas redes sociais receberam muitas menções e comentários, cerca de 10 mil comentários a mais que as outras publicações. Aumentando o alcance e visibilidade da marca.

Obviamente, é preciso ter estrutura para fazer esse tipo de ação, ter um bom suporte e uma equipe responsável por responder as redes sociais e chat. O ideal é a empresa ter um setor totalmente voltado para se comunicar com o público e, também, um bom sistema de suporte integrado. Além da capacitação dos funcionários, é sempre bom pesquisar serviços que ofereçam comunicação omnichannel e por atendimento híbrido.

Empresas como a Chat2Desk oferecem esse serviço, ainda com dashboard integrado, dessa forma os colaboradores tem acesso a vários canais de atendimento em uma mesma tela. Além de otimizar o atendimento, ainda coleta e organiza as informações dos clientes de acordo com a jornada do cliente. Entrega relatórios para que possam ser utilizados estrategicamente no planejamento de comunicação e marketing.

Buzz marketing: como ficar na mente dos clientes 1

Related Post

    Leave a Comment

    Artigos recentes

    Mudanças nos hábitos de consumo da pandemia
    O varejo reinventou até mesmo seus estabelecimentos físicos
    todas as vantagens do storytelling
    Letreiro em neon das startups
    Gestores analisando os tipos de clientes da empresa