Mudanças nos hábitos de consumo da pandemia

Em um dos nossos últimos artigos, falamos com o varejo, um dos setores mais afetados pelo coronavírus se reinventou. Mas para o varejo conseguir se reerguer foi preciso, antes, entender todas as mudanças nos hábitos de consumo. Muitos se perguntaram se essa mudança seria de vez, se deixaria algum legado para que possamos aprender e incluir definitivamente em nossa vida. 

Algumas coisas já eram tendência, porém não iriam consolidar em um futuro tão próximo. Hoje, são praticamente nossa realidade. Um exemplo são os nosso hábitos de consumo migrar para o digital, que deixou de ser uma prática de um grupo pequeno que é mais high technology. Atualmente, 51% das pessoas começaram a consumir delivery ou mesmo supermercado online na pandemia e pretendem permanecer com esses hábitos de consumo mesmo após a quarentena. 

Além disso, a tomada de decisão com relação às compras, também, mudou, com a família estando mais unida em casa. Porque não dividir as compras ou o carrinho no e-commerce? Os produtos que tem sido mais consumido no ambiente digital, destaca-se os produtos de higiene pessoal, limpeza e os alimentos perecíveis e não perecíveis. 

 

Posse dos bens de consumo X acesso aos bens de consumo

A crise, também, fez com que muitas pessoas refletisse sobre suas compras impulsivas. Apesar de já ter sido comprovado que a quarentena causou muito estresse e ansiedade. Não só pelo confinamento, mas devido a gravidade da doença e sua consequência na economia. Com relação às compras, as pessoas estão mais conscientes e analisando o que, de fato, elas utilizam e o que não usam. Isso é uma das maiores mudanças nos hábitos de consumo e já era uma tendência.

Pois quando estamos em casa, vemos, ao mesmo tempo, o que utilizamos no dia a dia, assim como, o que temos e só está acumulando espaço. Essa noção do desperdício fortalece a distinção entre os consumidores que dão valor a posse de bens de consumo e aqueles que se satisfazem apenas tendo o acesso a eles. 

Se observamos além das experiências que são oferecidas para diferentes pessoas, iremos ver que há um comportamento determinante em comum: a maioria dos consumidores se viram obrigados a incorporar novos hábitos de consumo na quarentena. Nessa nova realidade, a visita a loja física não foi esquecida, mas ela é complementar às compras online. E é preciso, também, ter um bom motivo para ir até o estabelecimento. Hoje, mais que nunca, o cliente valoriza a experiência que a marca oferece e não somente o produto que vai comprar ou serviço prestado.

Outro ponto importante é que 40% dos consumidores começaram a consumir mais em comércios dos seus bairros desde o início da quarentena. Bem, tendo esses dois novos hábitos de consumo, isso é um bom indicativo que os pequenos negócios deveriam investir mais em sua presença digital. Sabemos que marketing é caro e, na maioria das vezes, só mesmo as grandes empresas são as que investem nesse tipo de estratégia de vendas e relacionamento com o consumidor. No entanto, o marketing, principalmente digital, tem se mostrado, cada vez mais, necessário em todos os negócios, independente do seu faturamento.

Os consumidores mudaram os seus hábitos de consumo
Os consumidores mudaram os seus hábitos de consumo

A logística mudou também

Como as buscas por compras de supermercado online tem aumentado, logo, o setor de supermercados, drogarias e até restaurantes necessitou se reinventar, principalmente na parte da logística. Ao longo desses meses de isolamento social identificamos 3 mudanças importantes:

Como disse, anteriormente, sobre o aumento do consumo de delivery como um grande fator, que ter a conveniência de ter o produto entregue em casa deve ser levado a sério mesmo no pós pandemia. Não é por acaso que 37% do brasileiros que estão conectados vem usando delivery com mais frequência. Outro fator que vem determinando como uma mudança dos hábitos de consumo é que, hoje, vemos o delivery como mais seguro, por conta medo de contágio. Por isso, mais de 27% das pessoas diminuiram as idas aos supermercados. Esse crescimento dos setores que trabalham com produtos essenciais básicos no meio digital estava previsto para apenas daqui 2 ou 3 anos, no entanto, a pandemia acelerou tudo mudando os hábitos de consumo.

Seja entre os consumidores digitais assíduos ou que iniciaram agora, uma coisa é certa, a cada dia mais a sociedade está percebendo que comprar online é seguro. E os resultados disso já são perceptíveis, pois essa mudança de hábito de consumo não só gerou um aumento de consumidores nos comércios digitais como o aumento de vezes que aqueles consumidores antigos compram na internet.

 

O que vai permanecer?

Por mais que não tenhamos uma resposta concreta a essa pergunta, segundo os dados e as tendências podem direcionar marcas e empresas a terem uma percepção mais assertiva quanto os hábitos de consumo do momento atual. Além disso, serve como uma forma de entendermos, também, quais as demandas, problemas e necessidades os consumidores tem e que precisaremos resolver daqui para frente. E, apesar de não ser possível prever o que será permanente ou não, todas as mudanças que vem acontecendo já nos apontam os caminhos que iremos ter pós pandemia. 

Nesse cenário, como fica o marketing com o novo hábito de consumo?

Mas como poder atender melhor, diante de tantas mudanças nos hábitos de consumo de como, quando, onde e por que consumir? Infelizmente, não terá outra maneira que não seja olhar suas métricas e repensar o marketing. Analisar em que deixaram de atender os consumidores em seus estabelecimentos e como pode repor isso começando a atendê-los em sua casa. É preciso se fazer 4 perguntas essenciais:

  • Como estamos satisfazendo os consumidores a medida que suas necessidades mudaram?
  • Temos nos ajustando a essa nova realidade de consumo?
  • Estamos inovando e criando novas formas de levar experiências ao consumidor entediado de estar sempre no mesmo ambiente?
  • Nosso atendimento tem sido de excelência e tem tirado todas as dúvidas dos clientes?

Uma forma de entender o que os seus clientes precisam e quais as mudanças terá que fazer no seu negócio, devido as mudanças nos hábitos de consumo dos clientes, é ter um bom atendimento digital. Não só para suporte, mas para tirar todas as dúvidas, personalizar pedidos e receber sugestões. É uma forma de investir em captar dados e entregar melhor experiência ao cliente, já que ter um atendimento disponível 24h por dia o deixará mais seguro.

Nesses casos, contratar um serviço de atendimento omnichannel em SaaS, como os da Chat2Desk, que oferece atendimento híbrido, podendo ser muito útil a equipe de atendimento, já que os chatbots podem solucionar as questões mais simples. Dessa forma, os atendentes podem se dedicar mais às questões complexas, levando maior entrega aos clientes. Além de colher todas as informações de acordo a jornada do consumidor e gerar relatórios. E são justamente essas informações que vão te dar um norte e te direcionar as melhores estratégias de marketing e quais são as verdadeiras dores do seu cliente

Hábitos de consumo: quais tem sido as mudanças pós covid? 1

Related Post

    Leave a Comment

    Artigos recentes

    Atendimento ao cliente
    Black Friday: como se preparar
    Hábitos de consumo: quais tem sido as mudanças pós covid? 3
    Black Friday chegando
    Cliente utilizando WhatsApp Business para fazer compras